segunda-feira, 22 de julho de 2019

A Festa de Nossa Senhora da Ortiga

Nª Sª da Ortiga
Em Portugal a Virgem Maria não apareceu apenas aos três pastorinhos na Cova da Iria, onde fica um dos maiores Santuários da devoção Mariana e um importante destino do turismo religioso do mundo. No Brasil pouco se sabe, mas Nossa Senhora também apareceu a uma pastorinha na localidade rural da Ortiga, onde atualmente se encontra o Santuário de Nossa Senhora da Ortiga, que pertence à freguesia de Fátima e está localizado no Concelho de Ourém, próximo da Vila Medieval do Castelo, a cerca de seis quilômetros do Santuário de Fátima, na região Central de Portugal. Segundo a lenda, narrativa oral tradicional, tudo aconteceu: 
Por volta de 1758 - no lugar onde está erguido o Santuário de Nossa Senhora da Ortiga - a Virgem Maria apareceu a uma pastorinha que tomava conta das ovelhas da família, que pastavam naquela localidade. A menina era muda de nascença e quando aquela Mulher lhe pedira uma ovelha de repente sentiu a língua solta e respondeu que não poderia Lhe dar uma ovelha sem a permissão do seu pai, que morava ali próximo no lugar denominado de Casal de Santa Maria.
Santuário Nª Sª da Ortiga
Santuário da Ortiga
A menina foi correndo para contar ao pai o pedido da Senhora, e ele logo ficou espantado e ao mesmo tempo muito alegre por ver a filha falando. De imediato ordenou que a menina voltasse e atendesse tudo que a Senhora pedisse. A pastorinha, já curada, retornou ao local da aparição para falar com a Virgem Maria que, em resposta, lhe pediu que fosse construída uma capelinha naquele lugar e onde prometeu que aconteceriam muitas graças. O pai da pastorinha foi até o local indicado e lá chegando encontrou uma imagem da Virgem Maria sobre uma pedra e no meio de urtigas (ou Ortigas). Então, ele levou a imagem para o Casal de Santa Maria, mas em pouco tempo desapareceu e foi encontrada no mesmo local onde a Senhora tinha aparecido à pastorinha. 
No ano de 1801 o Papa Pio VII concedeu uma indulgência plenária a todos os peregrinos que participassem das celebrações religiosas do primeiro domingo de julho até a terça-feira seguinte quando encerram as comemorações. Mas, para obter a indulgência o devoto deve se confessar, comungar e rezar pelo Sumo Pontífice. 
A lenda no portal da igreja
Portanto, nesse local foi construída uma capela onde atualmente é o Santuário de Nossa Senhora da Ortiga. Desde então acontece a festa em celebração à Nossa Senhora da Ortiga, que tem seu início no primeiro domingo de julho e vai até a terceira-feira. São três dias de festa religiosa com celebrações de missa, procissão, além de músicas, comidas e bebidas típicas (agora em 2019 o período da festa foi de 7 a 9 de julho). 
Ex-votos na Nª Sª da Ortiga
É verão, período de férias aqui em Portugal, época em que se realizam festas em diferentes lugares e os portugueses aproveitam a estação de sol para demonstrar a sua fé aos santos e santas de suas devoções. É nessas festas que as comunidades tradicionalmente tecem as suas relações de confraternização, de convivência e juntam-se aos demais familiares e amigos para celebrarem os seus padroeiros e padroeiras. 
Ex-votos - Ortiga
Agora, em 2019, estive em diferentes festas religiosas populares aqui em Portugal e presenciei essas demonstrações de fé dos portugueses nas missas solenes, nas procissões e nos pagamentos de promessas simbolicamente representadas nos ex-votos deixados nos santuários, nas igrejas e capelinhas espalhadas por diferentes regiões do país. 
 Assim foi no dia 24 de junho na festa de São João ou festa da Bugiada e Mouriscada em Valongo/Sobrado, na região do Porto, no Norte, na festa dos Tabuleiros na cidade de Tomar, na região Central, onde aconteceu em julho uma das maiores festas em devoção ao Divino Espírito Santo, que teve o seu ponto alto nos dias 7 com o cortejo dos Tabuleiros e no dia 8 com o cortejo do Bodo que partilha o pão, a carne e o vinho com a população mais carente, e, também no Santuário de Fátima nos dias 12 e 13 de julho datas que celebram uma das aparições de Nossa Senhora aos Pastorinhos.
Cortejo dos Tabuleiros -Tomar
Em todos esses lugares estão depositados os ex-votos que narram as graças alcançadas e na festa da Ortiga não foi diferente, aos pés da santa foram deixados ex-votos que representam curas de doenças, objetivos quase impossíveis de serem realizados e como o Santuário de Nossa Senhora da Ortiga fica na zona rural os devotos também deixaram grãos, azeites e vinhos como forma de agradecimento.  Mais uma vez estive com familiares na festa da Ortiga que reúne os devotos da paróquia, inclusive os imigrantes que se juntam aos familiares e amigos para comemorar no primeiro domingo de julho o dia de Nossa Senhora da Ortiga. É uma festa pequena de sentido local, mas de importante significado de fé para quase toda a gente da região. Tem muita fartura com o tradicional cardápio de frango assado, borrego, pão, vinho e queijo no almoço e no jantar. Mas, não fica por aí, ainda tem as famosas filhoses com café e uma boa aguardente para encerrar o banquete. 


Nª Sª da Ortiga

   Viva Nossa Senhora da Ortiga!

Bodo - distribui a carne - Tomar

Bodo - distribui o vinho - Tomar

Bodo - distribui o pão - Tomar

São João - Sobrado/Valongo

Sobrado/Valongo - ex-votos  


Procissão das Velas - Fátima
Ex-votos - Fátima


Ex-votos - Fátima

Ex-votos - Fátima







segunda-feira, 10 de junho de 2019

A festa de São João de Valongo ou da Bugiada e Mouriscada em Portugal

No Folkcom da UEPB 2019 (Foto: acervo pessoal)
A Universidade Estadual da Paraíba/UEPB realizou de 5 a 7 de junho de 2019, na cidade de Campina Grande, o XVI Seminário os Festejos Juninos no Contexto da Folkcomunicação e da Cultura Popular, mais uma vez participei como convidado da mesa redonda sobre "folkcomunicação, cultura popular e comunidade", bem como da coordenação do grupo de trabalho, "folkcomunicação e cultura popular nos contextos religiosos". Na ocasião fiz um relato parcial da pesquisa etnográfica no campo da folkcomunicação realizada em 2013 e 2015 e que será finalizada agora em 2019 quando mais uma vez acontece a fantástica festa de São João na Freguesia de Sobrado. Estarei lá para mais uma observação e concluir a pesquisa de campo.  
O que é a festa
Mourisqueiros - Sobrado- Portugal (Foto: acervo pessoal)
A festa São João em Sobrado, uma freguesia do Conselho de Valongo localizado na área metropolitana do Porto na região Norte de Portugal, é uma tradicional celebração do calendário religioso e profano do catolicismo popular, realizada anualmente no dia 24 de junho. É a festa da Bugiada e Mouriscada.
É uma festa junina bem diferente das nossas festas aqui no Nordeste brasileiro. A Festa dos Bugios (cristãos) e Mourisqueiros (mouros) no dia de São João é um espetáculo extraordinário do ciclo carolíngio das “lendárias estórias” entre cristãos e mouros que se enfrentam numa longa batalha pela posse milagrosa da imagem de São João Batista entre cristãos e mouros.
Bugios - Sobrado - Portugal (Foto: acervo pessoal)
Mesmo com todos os processos de atualização a festa continua com fortes características das antigas festividades carnavalescas do início do verão no Hemisfério Norte que tem suas origens na Idade Média e continuam vivas na Idade da Mídia.
E, como não poderia deixar de ser, este ano, no dia 24 de junho, Sobrado será mais uma vez o território da realização da Festa da Bugiada e Mouriscada ou Festa de São João.
Vale a pena ver o vídeo promocional da Câmara Municipal de Valongo/CMV sobre as lutas entre cristãos e mouros nas festas de São João Batista. O vídeo está disponível na internet. Confira.



quarta-feira, 20 de março de 2019

A celebração do dia de São José e o equinócio


Hoje, dia 20 de março de 2019, ás 21h58 tem início o outono aqui no hemisfério sul, onde está localizado o Brasil, e no hemisfério norte é a chegada da primavera. É o período em que acontece o equinócio, quando o dia e a noite têm duração igual de 12 horas. Portanto, não é mera coincidência os povos cristãos e principalmente os católicos celebrarem no dia 19 de março o dia de São José Operário, padroeiro dos marceneiros, dos carpinteiros, o pai de Jesus e o esposo de Maria. São José está na lista dos santos mais celebrados no mundo e de grande devoção no catolicismo popular. E desta forma a igreja católica, no decorrer do tempo, incorpora os períodos festivos das mudanças das estações no seu calendário litúrgico. 
DParóquia de São José - João Pessoa/PB
Aqui, no nordeste brasileiro, uma região bastante castigada pelas constantes secas, se chover no dia de São José significa que teremos um inverno bom, regular e de boa produção na agricultura e por isso São José é lembrado com muitas festas.  Choveu no dia 19 de março as esperanças dos nordestinos, dos sertanejos são renovadas, dão graças a Deus e São José.
Mas tudo isso tem significado e sentido que vem das antigas práticas de celebrações culturais e religiosas dos povos pagãos para celebrar as mudanças das estações do ano. Ao longo do tempo essas práticas de celebrações com festas sagradas e profanas - (verão, outono, inverno e primavera) - sempre fizeram parte dos processos das transformações culturais e religiosas da sociedade humana. Portanto, são essas práticas dos povos antigos que vêm sendo resinificadas desde a Idade Média até os dias atuais – na Idade da Mídia – com suas diversidades nacionais, regionais e locais recheadas desses novos significados e sentidos impregnados de apropriações e incorporações de valores simbólicos de bens religiosos e de consumo exigidos pelas demandas da sociedade midiática.
A religiosidade popular, desde a antiguidade, sempre foi alimentada pela criatividade, pela espontaneidade e pela aculturação dos seus seguidores que, através dos longos anos de peregrinações rumo aos lugares sagrados, contavam as histórias de vida nas feiras, nas procissões, nos pagamentos de promessas, nas festas religiosas da piedade popular e em tantas outras atividades da vida cotidiana fortemente marcada com a presença da igreja na Idade Média.
Os peregrinos sempre operaram estratégias de comunicação nas extensas redes mnemônicas da oralidade, muitas vezes dissimuladas, astutas, camufladas, como táticas de convivências e de conveniências, quando necessário, mas nunca desatentos, resistindo e interpelando os fatos mesmo entre “a cruz e a espada” da dominação da igreja no período medieval na Europa. Portanto, os processos de atualizações das festas religiosas sagradas e profanas são tão antigos quanto a própria expansão do cristianismo na Península Ibérica.
As datas das celebrações festivas, sagradas e profanas dos santos e santas do catolicismo popular, na atualidade passam por importantes transformações que vêm desde os ritos dos povos nômades – peregrinos – a caminho da ocupação da Terra Santa de Israel e que se expandem pelos caminhos rumo a Santiago de Compostela. As redes mnemônicas de comunicação, assim como as redes folkcomunicacionais continuam influenciando nas estratégias de importantes transformações nas práticas religiosas e profanas da piedade popular dos povos ibéricos desde a Idade Média, consequentemente do povo brasileiro e agora mais do que nunca na Idade da Mídia.
Dia de São José é uma data importante para os católicos em diversas partes do mundo e que persiste celebrada mesmo no contexto da sociedade midiatizada.