terça-feira, 1 de novembro de 2016

Dia do Bolinho uma tradição portuguesa


A igreja católica celebra no 1 de novembro o dia de Todos os Santos (Festun Minium Santos), em memória dos santos mais venerados aos desconhecidos e daqueles que foram mártires e lutaram em defesa da fé cristã. Quando o Papa Gregório III (731-741), mandou construir uma capela em Roma em homenagem a todos os santos determinou que a partir de então o dia 1 de novembro fosse reservado para as liturgias a todos os santos. O Papa Gregório IV, por volta de 835, determinou que nessa data fosse festejado, pela igreja católica, no mundo inteiro o dia de Todos os Santos e, no dia 2 o dia de finados. Portanto, a partir daí as festividades do dia de Todos os Santos passaram a ser realizadas em todas as igrejas católicas do mundo.
Muito antes da igreja católica determinar que o 1 de novembro passaria a ser o dia de Todos os Santos, os povos celtas, há centenas de anos, já realizavam a festividades de Samhais, a festa da despedida do outono, da chegada do inverno e do ano novo. Ou seja, provavelmente, o dia de Todos os Santos, no 1 de novembro, seria mais uma das estratégias da igreja de incorporar as datas festivas pagãs ao seu calendário litúrgico.
Os povos celtas dividiam o tempo e o espaço pelas estações do ano seguindo o movimento do sol e as fases da lua. Ao longo dos anos as festividades pagãs foram sendo incorporadas ao calendário litúrgico do cristianismo e essas movimentações no tempo e espaço deram origem a quase todas as festas do catolicismo popular. Portando, a festa do dia de Todos os Santos ou a festa do Dia do Bolinho, provavelmente tem as suas origens nas antigas festividades de passagem de ano dos povos celtas, na festa de Samhais.

A festa do Dia do bolinho de Vilar dos Prazeres em Portugal

A tradição festiva do dia de Todos os Santos vem se perdendo no tempo em Portugal, mas em Vilar dos Prazeres uma pequena vila pertencente ao município de Ourém e próximo de Fátima continua bem viva e festeja o dia de Todos os Santos com muita distribuição dos bolinhos de nozes e com mesas fartas. Ou seja, é o dia da festa da distribuição do Pão-por-Deus e por esse motivo é mais conhecida como o Dia do Bolinho.
As crianças saem às ruas da vila de casa-em-casa com uma saquinha de pano pedindo o bolinho de todos os santos. Essa é uma celebração festiva que já vem de muitos anos em Vilar dos Prazeres e que até hoje a família Faria Neves mantém a tradição da oferta do bolinho no dia de Todos os Santos ou Dia do Bolinho. A casa de Eugénio e Judite é uma das referências de distribuição do bolinho em Vilar dos Prazeres, é visitada neste dia por centenas de crianças que passam pedindo os bolinhos.
Ó tia dá Pão-por-Deus
Se não tem Dê-lho Deus!
Pão-por Deus
Fiel de Deus, bolinho no saco
Andai com Deus
                    Ou ainda:
Ó tia dá bolinho,
Em louvor de seu santinho,
Senão leva com a tranca no focinho

Ou simplesmente:
                                            Ó tia dá bolinho!

Na casa de Eugénio e Judite além da distribuição dos bolinhos são ofertados o pão, a broa, os frutos secos e para os adultos, que quase sempre acompanham os seus filhos, tem a ginja e o vinho. Em 2014, mais uma vez eu e Rosinha participamos da festa da família Faria Neves no Dia do Bolinho na casa Eugênio e Judite com outros parentes e amigos que vieram de Lisboa, Leiria, Fátima e tantos outros lugares. A casa fica cheia, netos, sobrinhos, amigos, vizinhos e até mesmo crianças desconhecidos que passam com as saquinhas pedindo os bolinhos. Dias antes Judite com ajuda dos familiares e amigos fazem centenas de bolinhos, organizam as cestas com os bolos, as broas, os frutos secos, as garrafas de ginja e vinho, tudo produzido na casa do casal.
A mesa é arrumada com todas as ofertas que serão distribuídas, debaixo de uma antiga figueira no lado externo da casa que dá para o portão principal, para ficar mais visível e com melhor acesso das crianças para receberem o Pão-por-Deus no dia de Todos os Santos, melhor dizendo, no Dia do Bolinho. 
E assim a tradição do Dia do Bolinho vem resistindo ao tempo, se mantendo viva em Vilar dos Prazeres graças as famílias da localidade, especialmente a família Faria Neves que durante muitos anos mantem a tradição de realizar as festividades do Dia do Bolinho e a animação maior é sempre na casa de Eugenio e Judite.
          
                  
                            Ó tia dá um bolinho.












4 comentários:

  1. Olá Osvaldo. Que bonita reportagem escrita e documentada com fotos muito bonitas. São documentos que ficam para sempre .Um abraço. Rosalina

    ResponderExcluir
  2. Trigueiro amigo,

    Agradeço o oportuno trabalho sobre o “Dia do Bolinho”, que me enriqueceu o banco dos meus conhecimentos sobre as tradições populares portuguesas. Meus parabéns .
    Meu cordial abraço, extensivos aos familiares e amigos paraibanos.
    Jackson Lima.

    ResponderExcluir